UFRJ começa a esvaziar imóvel que abrigou o Canecão

A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) começou nesta terça-feira a esvaziar o imóvel que até 2010 abrigou o Canecão, em Botafogo, na zona sul do Rio. A casa de shows funcionou desde a abertura, em 1967, num terreno que pertence à UFRJ. Em agosto de 2010, a Justiça determinou que o imóvel fosse devolvido à universidade e, então, a casa fechou as portas.

FÁBIO GRELLET, Agência Estado

04 de junho de 2013 | 20h13

O ex-inquilino deixou no imóvel mesas, cadeiras e outros móveis, e a Justiça determinou que a UFRJ cuidasse deles até que o dono fosse buscá-los. Em agosto de 2012, a UFRJ conseguiu ordem judicial para retirar os móveis, mas foi dado prazo até 17 de maio para que o antigo dono buscasse os objetos. Como ninguém retirou os móveis, em 20 de maio, a Justiça permitiu que a UFRJ desocupasse o prédio. Os móveis começaram nesta terça-feira a serem levados para um galpão da universidade. Parte será doada e parte passará a integrar o patrimônio da UFRJ.

O teto do imóvel está sendo recuperado numa reforma que custará R$ 400 mil. Até o fim de 2013, a fachada ganhará novos letreiros, de acordo com a instituição de ensino superior. O imóvel terá o nome provisório de Arena Minerva de Música e Arte e será administrado pelo Fórum de Ciência e Cultura da UFRJ.

O órgão pretende iniciar as atividades da Arena Minerva no próximo verão, usando uma sala de cem lugares, chamada Café Universitário, que deve ocupar o local antigamente conhecido como Canequinho. A reabertura do espaço maior, onde funcionou o Canecão, depende de uma reforma maior.

Tudo o que sabemos sobre:
CanecãoUFRJreforma

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.