UFSC define cotas para negros e carentes no vestibular

Haverá 20% das vagas reservadas para formados em escolas públicas e 10% para negros, vindos do ensino público

11 Julho 2007 | 17h27

O Conselho Universitário da Universidade Federal de santa Catarina (UFSC) decidiu, em reunião realizada na manhã de terça-feira, 10, reservar 20% das vagas, já a partir do próximo vestibular, para estudantes formados em escolas públicas e 10%, para negros, também formados no ensino público - fundamental e médio. Caso o porcentual de negros não atinja esse patamar, as vagas restantes serão destinadas a jovens vindos de outros tipos de estabelecimentos de ensino. O conselho decidiu, ainda, garantir cinco vagas para indígenas, com o acréscimo de uma nova vaga a cada ano letivo. A decisão vigora pelos próximos quatro anos, após o que poderá sofrer os ajustes. O professor Marcelo Henrique Romano Tragtenberg, membro do Conselho de Ações Afirmativas e do Conselho Universitário, que participou do encontro, disse, segundo nota divulgada pela universidade, que no vestibular os candidatos beneficiados pelas cotas vão se submeter aos mesmos critérios de avaliação dos demais, como não zerar em nenhuma prova.

Mais conteúdo sobre:
ufsc cotas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.