Última internada da tragédia da Kiss deixa o hospital

A estudante Ritchieli Pedroso Lucas, de 19 anos, recebeu alta do Hospital Mãe de Deus, de Porto Alegre, na manhã desta terça-feira. Ela era a última internada da tragédia da boate Kiss, de Santa Maria e estava sob cuidados médicos desde o dia do incêndio, 27 de janeiro. Em nota, o hospital informou que "após mais de cinco meses de internação recuperando-se de queimaduras e de um quadro de insuficiência respiratória, ela volta para casa em bom estado de saúde, podendo seguir sua vida normalmente". Durante o período em que esteve hospitalizada, Ritchieli perdeu a irmã, Driele, que também estava na boate e morreu no dia 7 de fevereiro.

ELDER OGLIARI, Agência Estado

02 de julho de 2013 | 17h26

No início do ano, pouco antes da tragédia, Ritchieli havia comemorado a aprovação no vestibular para o curso de Ciências Biológicas da Universidade Federal de Santa Maria. A família não informou o horário da viagem de volta à cidade onde mora e nem como vai retomar suas atividades nos próximos dias.

O incêndio foi provocado pela fagulha de um artefato usado durante show pirotécnico pela banda Gurizada Fandangueira durante uma festa promovida por estudantes na casa noturna. O fogo consumiu o revestimento acústico gerando a fumaça tóxica que matou a maioria das 242 vítimas por asfixia. A Justiça acolheu denúncia do Ministério Público contra dois integrantes da banda e dois sócios da Kiss por homicídio com dolo eventual. O processo está em fase de instrução e o julgamento não tem data definida.

Mais conteúdo sobre:
Santa MariaKissvítima

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.