Última leva de refugiados palestinos embarca para o Brasil

Refugiados passaram quatro anos em tendas, depois de perseguição no Iraque.

BBC Brasil, BBC

18 de outubro de 2007 | 11h40

O último grupo de refugiados palestinos que irão tentar uma nova vida no Brasil deixou a Jordânia nesta quinta-feira com direção a São Paulo e Rio Grande do Sul.Esta terceira leva de refugiados era formada por 25 pessoas, segundo informações da Embaixada brasileira em Amã, que emitiu os vistos para os palestinos e os acompanhou até o aeroporto na capital jordaniana.Outros 35 palestinos que o Alto Comissariado da ONU para Refugiados (Acnur) decidiu estabelecer no Brasil chegaram ao país em setembro e outros 36, no início do mês.Uma família que perdeu o vôo desta quinta-feira deve se unir aos demais na semana que vem."Deixamos para este último grupo as famílias que tinham integrantes em outros países. Esse reencontro é muitas vezes complicado, com demoras nas passagens pela fronteira e problemas logísticos. A família que não conseguiu embarcar estava esperando por parentes que não chegaram a tempo", disse à BBC Brasil a porta-voz do Acnur Astrid Van Genderen Stort.Os refugiados passaram quatro anos vivendo em tendas no campo de refugiados de Ruweished, no deserto da Jordânia, enfrentando as temperaturas extremas do verão e do inverno, depois de escaparem da perseguição de milícias xiitas no Iraque.Os palestinos viraram alvo de militantes iraquianos depois da invasão americana, em 2003, porque eram vistos como um grupo privilegiado no país durante o regime de Saddam Hussein, já que, a exemplo do presidente iraquiano, eram muçulmanos sunitas. "Um palestino que havia passado esses anos todos sozinho no campo de Ruweished finalmente conseguiu se reencontrar com a mulher e os filhos, que ainda estavam em Bagdá. Agora, eles estão todos a caminho do Brasil", disse Van Genderen Stort.O governo brasileiro e a ONU vão oferecer aos refugiados palestinos documentos, aulas de português e ajuda financeira por dois anos.Antes de viajar rumo ao Brasil, o terceiro grupo de refugiados, ainda no campo de Ruweished, pôde conversar por telefone com os palestinos que já estão vivendo no país."Foi uma ótima experiência porque os refugiados que estão no Brasil contaram que estão instalados, que os vizinhos são muitos simpáticos e que as crianças estão se adaptando bem", disse a porta-voz do Acnur.A ONU calcula que 15 mil palestinos ainda vivem no Iraque. Segundo dados da organização, pelo menos 186 foram assassinados nos últimos anos.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.