Um funil chamado mercado de trabalho

A filha de Maria das Graças, que é enfermeira, e os outros 799 mil paulistanos que estavam procurando emprego em novembro de 2009 perderam uma chance de entrar no mercado de trabalho - no ano passado, 150 mil vagas foram criadas na capital. Houve quem sugerisse até mudança de domicílio, especialmente às 80 mil pessoas que passaram todo o ano de 2009 desempregadas: entre as regiões metropolitanas, a taxa de desemprego em São Paulo (13%) só era menor que as de Recife e Salvador. Duas categorias não tiveram do que reclamar, pois exibiram o saldo mais positivo na cidade - 20.809 serventes e 10.151 auxiliares de escritório deram adeus ao seguro-desemprego em 2009, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Para a filha da Maria das Graças, faltou sorte, já que 1.109 vagas para enfermeiros foram criadas.

, O Estadao de S.Paulo

25 de janeiro de 2010 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.