Uneb adere à greve das universidades estaduais baianas

A Universidade Estadual da Bahia (Uneb), maior instituição de ensino superior do governo do Estado, iniciou hoje greve por tempo indeterminado. Com a decisão, tomada em assembleia realizada ontem, professores e funcionários da Uneb uniram-se aos das outras três universidades estaduais baianas, a de Feira de Santana (Uefs), a do Sudoeste (Uesb) e a de Santa Cruz (Uesc), que estão com as atividades paralisadas desde o início do mês.

TIAGO DÉCIMO, Agência Estado

27 de abril de 2011 | 16h58

As instituições protestam pela revogação do decreto 12.583/2011, que estabelece cortes nos orçamentos das universidades baianas e impossibilidade de reajuste salarial - parte do plano de enxugamento de orçamento anunciado pelo governo baiano no início de fevereiro, que visa a diminuir em R$ 1,1 bilhão os gastos da administração pública este ano. O governo admite negociar pontos do decreto, mas apenas após o fim das paralisações.

Mais conteúdo sobre:
educaçãogreveuniversidadeBA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.