Unesco pede enfoque cultural para gestão de recursos hídricos

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) pediu nesta quarta-feira, Dia Mundial da Água, que seja dado um enfoque cultural à gestão dos recursos hídricos no mundo, pois, sozinha, a Ciência não conseguirá evitar os desastres naturais nem ajudará as pessoas sem acesso à água potável.Durante o encerramento do 4º Fórum Mundial da Água, realizado na Cidade do México, a Unesco apresentou oficialmente o Segundo Informe da ONU sobre o Desenvolvimento dos Recursos Hídricos no Mundo.No Dia Mundial da Água, que em 2006 tem como tema "Água e Cultura", aconteceu o fórum que contou com a presença do diretor-geral da Unesco, Koichiro Matsuura.O diretor-geral disse que "a dimensão cultural" da água deve ser considerada seriamente nas decisões políticas, o que, na sua opinião, requer um exame mais profundo para a obtenção de soluções sustentáveis e igualitárias na gestão dos recursos hídricos.Matsuura declarou que a tecnologia por si só não oferecerá soluções viáveis para os problemas da água nem solucionará o problema de 1,1 bilhão de pessoas que não têm acesso seguro à água potável, um dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM).A gestão da água "é uma tarefa que aprofunda dimensões tantoculturais como técnicas e reflete a relação que os indivíduos e ascomunidades estabelecem com a natureza", afirmou Matsuura.O alto funcionário da Unesco disse que os conhecimentos da tradição e das sociedades indígenas sobre a água "poderiam dar contribuições importantes para obter soluções dos problemas gerados pelos recursos hídricos".Já o subdiretor geral de Ciências da Unesco, Walter Erdelen, seguiu a mesma linha da mensagem de Matsuura e afirmou que para cumprir as demandas de água e saneamento é necessário ver a água do ponto de vista holístico.Erdelen apresentou um vídeo da Unesco sobre a relação de culturas de vários países com a água e garantiu que é muito importante que o desenvolvimento dos recursos hídricos seja "culturalmente sensível".Segundo o funcionário da Unesco, a humanidade se beneficiou dos avanços tecnológicos, mas inundações, deslizamentos de terra, tsunamis e furacões demonstram a necessidade de um enfoque social e cultural para enfrentar os desastres.Durante a sessão, algumas crianças que participaram de um Fórum infantil leram uma série de pedidos, entre eles o de multar os que contaminarem a água e utilizarem o dinheiro para criar usinas de tratamento de tratamento de água.

Agencia Estado,

22 de março de 2006 | 18h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.