Unesp tem mais pardos, pretos e índios

Dos matriculados na Universidade Estadual Paulista (Unesp) em 2011, 18,9% se declararam pretos, pardos ou indígenas. A maior fatia é de pardos, com 13,5% enquanto 3,2% são pretos e 0,2%, indígenas.

O Estado de S.Paulo

30 Abril 2012 | 03h05

Apesar de não ter bonificação para esse grupo, a instituição tem números mais positivos que a Estadual de Campinas (Unicamp) - que adota bônus específico. A USP não informou qual é proporção.

O resultado da Unesp acompanha a inclusão de alunos de escola pública. A instituição é a que mais matricula, proporcionalmente, esses alunos.

Nenhuma das estaduais pretende adotar cotas raciais. Após decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) pela constitucionalidade das cotas, a ONG Educafro vai entrar na Justiça exigindo que elas adotem o sistema. A Unesp vai receber o diretor da ONG no Conselho Universitário, em junho. / P.S.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.