União Européia proíbe comércio de peles de cães e gatos

Ativistas dizem que milhões de animais são criados pela pele, a maioria na Ásia

Agencia Estado

21 de junho de 2007 | 12h11

O comércio de produtos que contenham pele ou pêlos de cães e gatos será proibido na União Européia (UE), após uma série de pedidos públicos para que a prática fosse declarada ilegal.membros do Parlamento Europeu aprovaram a proibição por maioria esmagadora. A medida ainda precisa ser ratificada pelos governos nacionais antes de entrar em vigor em 2009.A Comissão Européia, braço executivo da UE, informa que couro e pêlos de cães e gatos podem ser encontrados em algumas peças de roupa, acessórios e brinquedos à venda no mercado continental, seja sob o disfarce de algum outro tipo de material ou ocultos no interior do produto. Quinze países-membros da UE já têm leis nacionais sobre o assunto, com normas que variam da proibição de se criar cães e gatos para abate à proibição da importação dos produtos, passando pela simples exigência de discriminação no rótulo.Ativistas alegam que milhões de animais são criados pela pele, principalmente na Ásia. O grupo de defesa dos direitos dos animais Humane Society International afirma ter descoberto um esquema de produção de pele de cães e gatos na Repúblia Checa, em 2005. O país é membro da UE desde 2004.

Tudo o que sabemos sobre:
cãesgatospeleeuropa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.