União Européia seguirá financiando células-tronco

A União Européia (UE) continuará a financiar pesquisas com células-tronco humanas, decidiram ministros do bloco de 25 países, derrubando a oposição de um grupo de países majoritariamente católicos. O financiamento - parte do orçamento de pesquisa de 51 bilhões de euros para o período 2007-2013 - estará disponível nos países onde a legislação local permite a pesquisa com células embrionárias, e sob condições estritas, incluindo a proibição dos estudos voltados para a clonagem terapêutica ou para a modificação genética de seres humanos. Numa concessão aos oito países que se opunham às pesquisas, o dinheiro para pesquisas não financiará atividades voltadas para a destruição de embriões humanos. No entanto, a União Européia permitirá o financiamento das "atividades subseqüentes" envolvendo células-tronco embrionárias humanas. "O financiamento... com fundos da UE é possível, mas sob regras éticas e procedimentos muito estritos", disse Jukka Pekkarinen, chefe do departamento econômico do Ministério das Finanças. As regras permanecerão em vigor até 2013.Polônia, Áustria, malta, Eslováquia e Lituânia votaram contra as regras por razões "éticas e morais", mas Alemanha, Itália e Eslovênia mudaram de posição e apoiaram a proposta.A pesquisa com células-tronco humanas na União Européia é financiada principalmente com recursos nacionais dos países que permitem os estudos, e uma proibição do uso de fundos da UE não afetaria, na prática, as operações cotidianas, embora especialistas digam que o veto teria causado preocupação na comunidade científica e contrariado o espírito europeu de cooperação.

Agencia Estado,

24 de julho de 2006 | 14h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.