Unicamp avisa que não negocia com invasores

A Unicamp afirma ainda que já está realizando apuração para identificar os estudantes responsáveis pela ocupação de um prédio administrativo

Agencia Estado

21 de junho de 2007 | 12h59

Assim como fez a Universidade Estadual Paulista (Unesp), em reação à invasão de estudantes em prédios administrativos, a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) entrou com pedido de reintegração de posse do prédio da diretoria acadêmica na Justiça. Os estudantes ocupam o prédio desde o final da tarde da última segunda-feira, 19, conforme informou a assessoria da Unicamp. Em nota, a instituição acadêmica ressalta que não haverá qualquer negociação com os invasores. E diz ainda que a reitoria tomará medidas judiciais cabíveis para a "preservação do patrimônio público e a normalização das atividades da diretoria acadêmica". A Unicamp afirma ainda que já está realizando apuração para identificar os estudantes responsáveis pela ocupação e lembra que as punições podem ir "da advertência à expulsão". Para a Unicamp, a ocupação do prédio, "além de representar um ato de violência incompatível com a tradição de diálogo existente na Universidade, traz prejuízos à vida acadêmica da Unicamp e aos próprios estudantes, impedindo, por exemplo, a emissão de diplomas e a homologação de teses de pós-graduação".Leia a nota da universidade:A propósito da invasão das instalações da Diretoria Acadêmica (DAC) da Unicamp e da tentativa de invasão da Reitoria por um grupo de estudantes, na tarde de segunda-feira, a Reitoria traz ao conhecimento público o seguinte:1 - A invasão da DAC, além de representar um ato de violência incompatível com a tradição de diálogo existente na Universidade, traz prejuízos à vida acadêmica da Unicamp e aos próprios estudantes, impedindo, por exemplo, a emissão de diplomas e a homologação de teses de pós-graduação.2 - Já foi iniciada apuração para identificação dos responsáveis, instalação de processo disciplinar e aplicação das penalidades previstas no Regimento Geral da Universidade, que podem ir da advertência à expulsão. 3 - A Reitoria está tomando as medidas judiciais cabíveis para a preservação do patrimônio público e a normalização das atividades da Diretoria Acadêmica.4 - A Reitoria não negociará com os invasores.A REITORIACidade Universitária Zeferino Vaz.Campinas, 19 de junho de 2007.

Tudo o que sabemos sobre:
unicampinvasãoestudantes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.