Unicef: para jovens, educação é caminho para sucesso

Para o jovem brasileiro, a educação é um dos principais fatores para ter sucesso na vida. Entre 3.010 adolescente de 15 a 19 anos ouvidos na pesquisa "Adolescentes e Jovens do Brasil: Participação Social e Política", a maioria (69%) estudou ou estuda em escola pública e está satisfeita com o seu aprendizado. Entre os fatos de aprovação, estão o preparo dos professores (64%), os colegas (43%) e as atividades culturais e esportivas (35%). Mas, mesmo satisfeitos, os estudantes afirmam que ainda há problemas no ensino.Os jovens alegam a falta de aulas e vagas (25%), a má organização ou a direção da escola (23%) e a falta de estrutura (18%) como as questões a serem resolvidas. O estudo, divulgado hoje, foi feito pelo Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (Ibope) para o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), a Fundação Itaú Social e o Instituto Ayrton Senna. Como fator considerado mais importante para ter sucesso na vida foram citados escolaridade (49%), oportunidade de emprego (47%) e esforço individual (47%). "Para os jovens a educação é tema central e faz parte de seu projeto de vida, mesmo para os que estão fora da escola", afirma Mário Volpi, coordenador do Programa de Cidadania dos Adolescentes do Unicef no Brasil e um dos coordenadores da pesquisa. Corrupção e segurançaAlém de estar preocupado com o próprio futuro, o jovem também se preocupa com a realidade do País e aponta a corrupção na política (27%), a discriminação racial (17%) e a falta de segurança (15%) como os principais problemas brasileiros. A segurança pública (20%) e a política e os políticos (20%) também aparecem nos motivos de vergonha do Brasil. "Ao contrário do mito que o jovem é alienado e individualista, a pesquisa mostrou que eles têm uma visão crítica em relação ao País e mostram preocupação com questões coletivas", ressalta Margareth Goldemberg, diretora-executiva do Instituto Ayrton Senna.

ELENI TRINDADE, Agencia Estado

28 de novembro de 2007 | 20h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.