Unidade de níquel de Nova Caledônia volta no 4o tri

A Vale trabalha para retomar as atividades da unidade de níquel de Nova Caledônia no quarto trimestre do ano, enquanto outra operação do metal, no Pará, deverá ficar interrompida por mais alguns meses, disse nesta quinta-feira presidente da mineradora, Murilo Ferreira.

Reuters

26 de julho de 2012 | 14h30

A empresa informou que deve concluir o trabalho necessário para operar Nova Caledônia, em um arquipélago perto da Austrália, no terceiro trimestre, e que deverá restabelecer as operações do projeto no último trimestre deste ano.

A mina de Nova Caledônia começou a produzir níquel recentemente e estava em processo de ramp up até que um incidente na planta de ácido, em maio deste ano, levou a mineradora a parar a produção. Houve vazamento no trocador de calor e corrosão interna.

Em Onça Puma, no Pará, houve vazamentos em dois fornos por motivos ainda desconhecidos. A Vale está investigando a causa do incidente e informou que a planta ficará fora de operação por alguns meses.

Paralelamente, o Ministério Público Federal (MPF) pediu a suspensão de atividades de mineração de níquel da Vale no Pará no final de maio, sob argumento de que a mineradora falhou em atender a obrigações para mitigar impacto da mina de Onça Puma sobre povos indígenas na região.

"Uma série de projetos que poderiam estar contribuindo favoravelmente para a geração de caixa do base metals tiveram problemas no seu início de implantação, impactando muito sua performance", afirmou Ferreira, ao responder perguntas de analistas de mercado sobre o desempenho financeiro da companhia no segundo trimestre durante teleconferência.

A Vale anunciou na noite de quarta-feira resultados do segundo trimestre. O lucro despencou quase à metade em relação ao mesmo período do ano passado.

Murilo Ferreira disse que a companhia está trabalhando em um diagnóstico completo sobre a área de base metals para que investidores possam "tomar ciência das diversas alternativas".

"Estamos cientes das dificuldades que o negócio base metals vem atravessando. Não queremos esconder, deixar de discutir isso com vocês, investidores... Não estamos falando neste momento em desinvestimento, mas vamos construir cenário para que nossos acionistas tomem conhecimento... Estamos iniciando este trabalho", afirmou Ferreira.

As duas unidades paralisadas ainda estão em início de produção. Se estivessem operando, os resultados de níquel poderiam ter sido melhores.

A produção de níquel da Vale atingiu 60.900 toneladas, 3,6 por cento menor do que no trimestre anterior, mas ficou 8,4 por cento acima do segundo trimestre de 2011.

(Reportagem de Sabrina Lorenzi)

Tudo o que sabemos sobre:
MINERACAOVALEMINERIO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.