Unidade planeja maior expansão

Com índices recordes de evasão, a USP Leste planeja sua maior expansão desde que foi criada, há sete anos. A unidade deve ganhar até 2014 dez novas estruturas, entre prédios de pesquisa, laboratórios e centro de convenções, com previsão de gastos de R$ 96 milhões nas obras.

O Estado de S.Paulo

13 Maio 2012 | 03h06

O projeto prevê mais de 38 mil m² em novas construções. Os edifícios vão ocupar a atual área da escola e também um terreno vizinho, de 43 mil m², cedido pelo governo do Estado. O maior montante, de R$ 30 milhões, está previsto para um prédio da Escola Politécnica, que deve abrigar o novo curso de Engenharia da Computação. O edifício da Poli é a única iniciativa que resultará em aumento de vagas.

Algumas obras são para atender necessidades pedagógicas identificadas na Each. Haverá um edifício específico para Pesquisa e Extensão, um laboratório de Têxtil, Moda e Mídias, bloco de pós-graduação e uma piscina laboratório.

Além disso, no novo terreno cedido à universidade serão instalados um centro de convenções de 10 mil m², além de um Centro de Cultura e Exposição. Este último tem projeto de Ruy Ohtake.

Ao saber dos projetos da escola, alunos criticaram a falta de prioridade em reforçar as graduações. No ano passado, um estudo feito por professores da USP recomendou o fechamento de 330 vagas. Um curso seria extinguido no processo. A ideia acabou vetada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.