Unidos para produzir melhor

Viticultores familiares de Jundiaí (SP) saem da informalidade ao se juntarem e fundar uma cooperativa de vinhos

Niza Souza, O Estado de S.Paulo

09 de abril de 2008 | 02h38

Um ano e meio após a publicação da Instrução Normativa 34, do Ministério da Agricultura, que regulamenta a produção de vinho artesanal em estabelecimento organizado em cooperativa, a Organização das Cooperativas do Estado de São Paulo (Ocesp) registrou, no mês passado, a primeira cooperativa vinícola do Estado. A Cooperativa Agrícola dos Produtores de Vinho Jundiaí (AVA) contará, inicialmente, com 21 produtores.  Veja também:Vinícola Aurora é exemplo de sucessoNo futuro, agregar valor e exportarAntes de formar a AVA, parte do grupo de produtores já havia fundado uma associação, em 2003, para melhorar as condições de produção do vinho. A primeira ação foi contratar uma assessoria técnica. Passaram a fazer análises, por exemplo, do teor alcoólico e da acidez, e se equiparam melhor para saber o momento certo de colher a uva. ''Desde então, a qualidade do vinho melhorou 70%'', diz a bióloga e consultora Jacira Tosin de Lima.Segundo a bióloga, além de dar continuidade aos serviços realizados pela associação, a cooperativa também deve facilitar as questões burocráticas para os cooperados e formalizar a produção de vinho. A instrução normativa, explica ela, permitirá que os produtores saiam da clandestinidade.Como o vinho é produzido de forma artesanal, sem registro, alguns viticultores tiveram problema com a fiscalização sanitária. ''Apenas a associação não garantia a fabricação e comercialização legal do vinho. E se cada produtor tivesse de abrir uma empresa para regularizar a produção, a maioria acabaria desistindo e deixando a atividade.''Por enquanto, os produtores continuarão produzindo o vinho em suas adegas. Mas os diretores da cooperativa já começaram a estudar a construção da sede, onde será engarrafada toda a produção. ''Estamos nos adequando e solicitando ao Ministério da Agricultura a aprovação das adegas cooperadas'', diz o presidente da AVA, José Antonio Boschini.Controle da produçãoO presidente da Ocesp, Edivaldo Del Grande, explica que o objetivo da instrução normativa é controlar a produção e a qualidade do vinho artesanal. ''A intenção do ministério é tirar os pequenos produtores da informalidade'', diz. Mas, mais que isso, a cooperativa permitirá a profissionalização. ''Juntos, os produtores terão escala e uma marca mais consistente. Este é o princípio cooperativista.''Na adega Maziero, no bairro Caxambu, em Jundiaí (SP), as mudanças já começaram. O produtor Pedro Maziero, que produz em torno de 35 mil a 40 mil litros de vinho por ano, conta que depois da fiscalização quase teve de fechar a adega, que tem mais de 50 anos. ''Construí um galpão maior, com pé direito de 5 metros e piso no chão e azulejos na parede, até o teto'', diz. Agora, na da cooperativa, ele espera trabalhar mais tranqüilo. ''Estamos dentro da lei.''Para o casal Scheila e Aristeu Marquesin, que produz 3 mil litros de vinho/ano, a expectativa, agora, é conseguir comprar insumos mais baratos, para tentar reduzir custos. ''Para nós, pequenos produtores, o maior problema é estruturar a adega'', diz Scheila. Ela calcula que seriam necessários R$ 20 mil para construir o galpão maior, os banheiros e azulejar o local. ''Espero que a cooperativa consiga também alguma linha de financiamento.''Recentemente, o casal Marquesin juntou-se com o vizinho Pedro Negrini na compra de uma máquina desengaçadeira, que separa o fruto dos cabos. ''Ainda engatinhamos no cooperativismo, mas já começamos a entender as vantagens de trabalhar em conjunto'', ressalta Boschini, o presidente da AVA.A adega Negrini produz entre 3 mil e 3.500 litros por ano. Depois que passou a fazer parte da associação de produtores, melhorou a infra-estrutura de sua adega e a qualidade do vinho. ''Se não formássemos a associação e agora a cooperativa talvez já tivéssemos parado de produzir'', diz Pedro. ''Antes não sabia onde procurar ajuda. Hoje, temos toda a assistência da cooperativa.''

Tudo o que sabemos sobre:
vinhosprodução

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.