Ursos pardos estão quase extintos nos Alpes, diz grupo

Segundo a organização WWF, apenas 38 espécimes continuam vivendo no local

Agencia Estado

21 de junho de 2007 | 12h11

Os ursos pardos podem desaparecer dos Alpes europeus, já que apenas 38 deles continuariam, segundo se sabe, vivendo na região montanhosa, afirmaram ambientalistas nesta quarta-feira, 20."A população é pequena demais para garantir a sobrevivência deles", afirmou em um comunicado o braço austríaco do World Wildlife Fund (WWF), um ano depois de defensores de animais terem ficado chocados quando um urso desgarrado acabou sendo morto na Alemanha."Segundo sabemos, não há mais nenhum urso na Alemanha", disse Claudia Mohl, porta-voz do WWF. Os ursos pardos são uma espécie protegida por lei dentro da União Européia (UE), mas a sobrevivência deles vem sendo ameaçada pela destruição de seu hábitat devido aos projetos empresariais levados à região dos Alpes.Em junho de 2006, o primeiro urso visto na Baviera em 170 anos, apelidado carinhosamente de Bruno, foi morto a tiros por um caçador alemão depois de ter se aproximado de áreas habitadas e ter matado dezenas de ovelhas e galinhas.A morte de Bruno provocou manifestações em vários locais, mas especialmente na Itália, de onde o animal saiu para chegar à Alemanha (passando antes pela Áustria). Os defensores de animais disseram que o espécime poderia ter sido sedado e levado para uma área remota.Em agosto passado, as autoridades italianas colocaram um aparelho de rastreamento por satélite na mãe de Bruno a fim de que pudessem monitorá-la e para que o animal pudesse, caso necessário, ser afastado de áreas habitadas sem ser morto.Segundo Mohl, esse tipo de operação ajudaria a proteger os ursos restantes. "Quase nenhum deles representa algum tipo de problema desde que fiquem longe das pessoas", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
ursosextintos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.