Uruguaia é morta no litoral norte da Bahia; dois presos

A vítima teria tentado comprar cocaína de um dos acusados pelo crime, e resistido a tentativa de estupro

ALESSANDRA AQUINO, Agencia Estado

24 de novembro de 2007 | 20h22

A uruguaia Silvia Maria Rivera foi estuprada e assassinada neste sábado em Imbassahy, litoral norte da Bahia, a 100 quilômetros da capital baiana.   Os acusados do crime, Paulo Henrique Souza e Wemley Santos Barreto, foram presos em flagrante por ocultação de cadáver. Um terceiro suspeito, Adelson Ferreira da Silva, está com pedido de prisão preventiva decretado.   Sílvia morava em Imbassahy há quatro meses e trabalhava para a ONG Onda Verde Capitães de Areia, onde dava aula de teatro.   Houve uma rave na cidade, onde ela teria tentado comprar cocaína com Adelson, que a levou para a casa dele e tentou estuprá-la em companhia de Paulo Henrique e Wemley. Ela reagiu e foi estrangulada.   De madrugada, os assassinos usaram uma jangada para transportar o corpo para um mangue do rio Imbassahy, onde foi enterrado numa cova rasa. Os três homens foram localizados por uma denúncia anônima por telefone e guiaram os policiais até o cadáver.   O cônsul do Uruguai já comunicou os familiares, que estão à espera do corpo, que será transladado para o sepultamento da vítima.   Segundo o delegado titular de Praia do Forte, Marcus Carvalho, a investigação já está concluída.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.