Uso de redes sociais por fundos nos EUA sobrecarrega reguladores

Reguladores de fundos mútuos nos Estados Unidos estão sofrendo com o excesso de informações relacionadas ao Twitter.

Reuters

15 de março de 2013 | 16h20

Muitas administradoras de fundos, que precisam apresentar materiais publicitários e promocionais para revisão regulatória, também tem inundado reguladores sobre todas as suas publicações no Facebook, Twitter e outras redes sociais.

Mas, na sexta-feira, o regulador de mercados dos EUA, a Securities and Exchange Commission, movimentou-se para encerrarem essa inundação, emitindo orientações de que quase todas as publicações não precisam ser apresentadas junto à Autoridade Regulatória do Setor Financeiro, que conduz as revisões desses materiais.

Apenas publicações que especificamente referem-se ao desempenho de certo fundo ou que buscam ressaltar seus méritos devem ser apresentadas para revisão, disse a SEC.

Por exemplo, um simples tweet anunciando que um novo fundo foi lançado, informando uma mudança de gerente de carteira ou fazendo outras declarações factuais não precisam ser apresentados.

Por outro lado, um tweet que diz que "o desempenho do fundo recuperou-se fortemente durante o terceiro trimestre de 2012" ou "buscando dividendos? Pense globalmente e considere nosso Global Equity Fund", foram os tipos de comunicações que devem ser apresentadas para revisão de reguladores.

(Por Aaron Pressman)

Tudo o que sabemos sobre:
MERCADOSREGULADOREUALEGAL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.