Uso do FGTS para desastres é aprovado no Senado

Vítimas de desastres naturais, como deslizamento de encostas ou queda de barreiras, como as vítimas do Morro do Bumba, em Niterói, no Rio de Janeiro, poderão sacar dinheiro do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) até o limite de R$ 4.650. A autorização consta de projeto de lei aprovado hoje, em decisão terminativa, na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado. O projeto ainda precisa ser analisado pela Câmara dos Deputados.

ANA PAULA SCINOCCA, Agência Estado

27 Abril 2010 | 20h24

A permissão para movimentar conta vinculada do FGTS em caso de necessidade pessoal, decorrente de desastre natural, já era prevista na Lei 8.036/90, que trata do fundo. Entretanto, a regulamentação da matéria, feita pelo Decreto 5.113/04, não incluiu entre os desastres naturais que justificam o saque do FGTS o deslizamento de encostas e queda de barreiras, considerados muito comuns no País pelo autor da proposição, senador Marcelo Crivella (PRB-RJ). O projeto (PLS 158/07), segundo ele, corrige a lacuna, inserindo na Lei 8.036/90 "uma lista mais completa e realista dos eventos naturais desastrosos que podem acometer a população brasileira".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.