Patrícia Santos/AE - 29/1/2008
Patrícia Santos/AE - 29/1/2008

Uso na decoração de pratos e para conservas

.

Fernanda Yoneya, O Estado de S.Paulo

19 Agosto 2009 | 02h56

Hoje, o consumidor já encontra em supermercados e empórios de gastronomia inúmeros itens na versão mini, sempre com apresentação impecável. "O consumo começou a crescer há cinco anos", diz o diretor comercial de Frutas, Legumes e Verduras (FLV) do Pão de Açúcar, Leonardo Miyao. "Há o apelo gourmet e os mínis são saborosos."

Na Casa Santa Luzia, o gerente da Área de Perecíveis, Geraldo Lima, calcula que os mínis representam 10% das vendas de FLV. "Embora custem até 40% mais que uma hortaliça comum, os mínis têm boa aceitação, tanto que a variedade de produtos tem aumentado", diz Lima.

Para o comprador de FLV do Empório Santa Maria, Bruno Zerbinatti, os mínis agradam a três tipos de consumidor. "Os que compram para decorar um prato, os que usam o apelo visual para estimular o consumo por crianças e os que usam os mínis no preparo de conservas."

 

Veja também:

linkHorta em miniatura, com visual e sabor

linkOs brotos que encantam chefs

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.