Usuário da CPTM de SP pode mandar queixa por SMS

Mensagens são enviadas para uma central de monitoramento, que aciona a equipe de segurança mais próxima

Agencia Estado

13 Novembro 2008 | 10h02

Os passageiros da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) que tiverem ou testemunharem problemas no interior dos trens ou nas dependências das estações de todo o Estado podem comunicar a companhia por telefone ou mensagem de celular (SMS). O serviço já está disponível e as ocorrências são monitoradas pela central de segurança da empresa.Os problemas reportados podem ser de qualquer natureza, desde administrativos, como usuários realizando comércio no interior dos trens a pequenos furtos ou conflitos. Segundo o responsável pela central de monitoramento, Wiliams Vanderlei de Oliveira, a maioria das mensagens recebidas são de ocorrências no interior dos vagões. "A pessoa vê algo no trajeto para casa ou trabalho e nos avisa."Os SMS são enviados diretamente à central de monitoramento, que aciona a equipe de segurança mais próxima. O problema é resolvido e uma resposta é enviada ao usuário que realizou a denúncia. O custo do serviço, entretanto, é do próprio cidadão. "As operadoras de telefonia móvel não possuem serviço de SMS a cobrar", explica o gerente de segurança da CPTM, Júlio Antônio de Freitas. As mensagens custam, em média, R$ 0,30.Um número de telefone para ligações gratuitas também foi disponibilizado pela empresa. As ligações são recebidas pela central de atendimento ao usuário, que comunica a ocorrência à central de monitoramento. Para Freitas, não existe diferença quanto ao tempo de atendimento nos serviços. "Embora o SMS seja recebido diretamente pela equipe de monitoramento, escrever o texto demora mais do que falar com os atendentes."

Mais conteúdo sobre:
CPTMSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.