Vaga custava até R$ 80 mil

As sete quadrilhas desarticuladas anteontem pela Polícia Federal chegavam a cobrar até R$ 80 mil por uma vaga de Medicina em faculdades particulares de dez Estados do País, além do Distrito Federal. Uma delas operava a fraude havia mais de 20 anos.

O Estado de S.Paulo

14 Dezembro 2012 | 02h08

Existiam dois tipos de esquema. No primeiro, um membro da quadrilha bem preparado, especialista em provas de vestibular, entrava na prova, fazia o exame e saía para passar as respostas para os candidatos que queriam fraudar o vestibular. Elas eram enviadas via SMS, ponto eletrônico, bluetooth ou radiofrequência.

No segundo esquema, o candidato nem sequer aparecia no local da prova -um membro da quadrilha era quem fazia o exame em seu lugar, com um documento falsificado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.