Vai a 16 total de feridos em choque de PM e professores

O confronto entre professores da rede estadual de ensino e a tropa de choque da Polícia Militar deixou 16 pessoas feridas, segundo a PM. A corporação informou que, desse total, nove são civis e sete são policiais. A manifestação terminou por volta das 19h30 desta sexta-feira. O confronto foi nos arredores do Palácio dos Bandeirantes, na zona sul da capital paulista, e começou às 18h. Segundo a PM, 10 mil manifestantes foram controlados por um efetivo de 350 policiais militares do 16º Batalhão da PM.

MARIANA MANDELLI, Agência Estado

26 de março de 2010 | 21h00

Hoje, O governo de São Paulo informou a representantes dos professores que não negociará reajuste salarial enquanto durar a greve da categoria, que começou no dia 8. Os secretários-adjuntos da Casa Civil, Humberto Rodrigues, e da Educação, Guilherme Bueno, receberam dez integrantes do Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp) para uma reunião de 40 minutos no Palácio dos Bandeirantes. Os sindicalistas deixaram a sede do governo sem falar com a imprensa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.