Vai-Vai leva 50 anos de Paulínia para a avenida

"É a escola do povo!" É este o grito que anima, pelo menos duas vezes por semana, os ensaios da Vai-Vai, maior campeã do carnaval de São Paulo. Com 14 títulos, a escola do Bexiga leva para o sambódromo um enredo sobre a cidade paulista de Paulínia, sua história e seu cinema. "A escola tem um chão muito forte. A comunidade transforma o desfile em uma vitória, isso me dá segurança", conta o carnavalesco Chico Spinoza.

JOSÉ ROBERTO CASTRO, Agência Estado

01 Março 2014 | 05h05

A história contada no samba sobre os 50 anos de Paulínia começa bem antes da emancipação, quando a região ainda era habitada por escravos, no século XIX. A letra do samba, composta por Fagner Almeida, Mineiro, Loirinho, Marcinho Z.Sul e Edinho Gomes, fala ainda da vocação cultural da cidade, famosa por ser um polo de produção cinematográfica. "Na tela um filme revela quem está em cartaz. É a magia do cinema nacional. Paulínia... é ela! A estrela do meu carnaval", diz a letra.

A preparação do carnaval por Spinoza durou cerca de oito meses, tempo considerado curto por ele. Apesar disso, ele garante que o processo ocorreu sem atropelos. O carnavalesco Chico esteve em Paulínia pelo menos dez vezes durante a preparação do desfile. "Para poder carnavalizar, eu tive que viver", conta.

A Vai-Vai é a sexta escola a entrar na avenida na sexta-feira, dia 28, primeiro dia de desfiles. Ao todo serão 3,2 mil componentes nas 31 alas e 5 alegorias da escola.

Confira o samba-enredo da Vai-Vai:

Sou preto e branco, meu manto tem tradição

Vem... a festa vai começar

Vai-Vai é a chama do samba

Que jamais se apagará

Resplandeceu...

Um novo dia com a quebra das correntes

Finda a exploração da cor

O negro cantou feliz

Mais uma bandeira se erguia

Na proclamação, democracia

Nos trilhos o progresso desse chão

Brotou na força da imigração

E assim nasceu no berço dessa pátria mãe gentil

Uma cidade de encantos mil

O povo pôde festejar... festejar!

Gigante polo industrial

Ao meu Brasil é fundamental

Na união, a miscigenação

Um brilho de luz clareia...

Reluz nessa "feliz-cidade"

O esporte é vida, saúde e paixão

É emoção...

Em cena a essência da arte

"Liberdade" na imaginação

Desperta o amor à cultura

Embala os sonhos de um novo amanhã

Na tela um filme revela quem está em cartaz

É a magia do cinema nacional

Paulínia... é ela!

A estrela do meu carnaval

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.