Vale compra participação em mineradora de cobre na África

A Vale anunciou na madrugada desta terça-feira que acertou uma parceria em uma joint-venture que controlará uma mineradora com vários projetos na África, entre eles três no cinturão de cobre do continente. O valor da operação é de 81 milhões de dólares canadenses. A maior produtora de minério de ferro do mundo fez o acerto com a sul-africana African Rainbow Minerals (ARM). O acordo prevê que, após aprovação dos acionistas e autoridades, a Vale terá 50 por cento de uma joint-venture formada com a ARM, que por sua vez será controladora indireta da holding de mineração TEAL, que terá seu capital fechado. A TEAL tem três projetos de cobre em estágios de viabilidade e aprovação, localizados no cinturão do cobre africano, "a mais promissora região do mundo em depósitos de cobre de alto teor", informou a Vale em comunicado. Os três projetos estão em Konkola North, considerado o segundo maior recurso conhecido no cinturão de cobre da Zâmbia; Kalumines, mina com produção de cobre e cobalto na República Democrática do Congo, onde se pretende construir uma grande operação de cobre e cobalto utilizando depósitos já conhecidos de alto teor esperado e baixa profundidade; e Mwambashi, na Zâmbia, disse a Vale. Em conjunto, os três projetos poderão representar uma capacidade de produção nominal de 65 mil toneladas métricas de cobre por ano nos próximos anos, afirmou a mineradora brasileira. "Adicionalmente, a TEAL possui um portfólio extenso e com grande capacidade de exploração de cobre, que indica um potencial estimado de mais de 300 milhões de toneladas métricas de minério de alto teor (acima de 1,5 por cento de cobre), principalmente na República Democrática do Congo e Zâmbia." Nos primeiros nove meses de 2008, a TEAL teve receita de 18 milhões de dólares e sua dívida líquida era de 81 milhões de dólares no final de setembro. "Investimentos em cobre são parte importante da estratégia de crescimento da Vale. Já operamos a mina de cobre do Sossego no Brasil e temos produção de cobre associado às nossas operações de níquel no Canadá", informou a Vale. A Vale já desenvolve dois projetos de cobre, um em Salobo, em Carajás, e em Tres Valles, no Chile. "Estamos estudando também várias opções que poderão permitir a obtenção de capacidade de produção anual de 1 milhão de toneladas métricas nos próximos cinco a sete anos", divulgou a mineradora brasileira. (Reportagem de Alberto Alerigi Jr.)

REUTERS

16 Dezembro 2008 | 08h26

Mais conteúdo sobre:
SIDERURGIA VALE AFRICA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.