Vale e Baosteel desistem de projeto siderúrgico no ES

A Vale anunciou nesta sexta-feira que decidiu encerrar com a siderúrgica chinesa Baosteel o projeto siderúrgico de Polo de Anchieta, no Espírito Santo, após "intensas negociações e análise de alternativas", em meio à crise econômica. O projeto previa a instalação de uma usina integrada de produção de placas de aço em Anchieta, com capacidade de 5 milhões de toneladas por ano que seria destinada principalmente para exportação. "A crise econômica global, que afetou a cadeia levando as siderúrgicas de todo o mundo a uma forte redução da produção de aço, bem como a mudança dos cenários para o próprio projeto da CSV, levaram a Baosteel a propor o cancelamento do projeto e a liquidação da Companhia Siderúrgica Vitória (CSV)", informou a Vale em comunicado. Em 2005, a Vale e a Baosteel já haviam desistido da implantação de um outro projeto siderúrgico no Brasil, no Maranhão, devido a "limitações ambientais bem como dificuldades na disponibilização dos terrenos selecionados", de acordo com o comunicado. Em dezembro, a Baosteel havia dito que a construção do projeto no Espírito Santo poderia ser atrasada por pelo menos seis meses já que o governo havia pedido que a empresa mudasse o empreendimento para 80 quilômetros ao sul do local original devido a razões ambientais. O chefe de projetos externos da Baosteel, Liu An, afirmou na época que a empresa estava em negociação com o governo. Sob o cronograma original, a construção da planta deveria começar em setembro de 2009 e as obras levariam três anos para serem completadas. (Por Alberto Alerigi Jr. e Camila Moreira)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.