Vale e Petrobras estudam parceria em biocombustíveis no Pará

Em mais uma aliança para ganhar produtividade, as gigantes Vale e Petrobras estudam a possibilidade de parceria para produzir óleo de palma e biodiesel no Pará, informou a estatal em nota à imprensa nesta terça-feira.

Reuters

14 de agosto de 2012 | 13h09

O projeto da Vale na Amazônia prevê a produção de biodiesel B20, com 20 por cento de óleo de palma misturado ao diesel, para atender suas operações no Brasil a partir de 2015. Para tanto, a mineradora prevê investir 500 milhões de dólares, segundo disseram executivos da empresa em junho, quando a empresa inaugurou uma usina de extração de óleo de palma.

O presidente da Petrobras Biocombustível, Miguel Rossetto, visitou nesta terça-feira, a convite do diretor global de Energia da Vale, João Coral, a planta de extração de óleo de palma da mineradora no município de Moju (PA).

A mineradora vai construir mais uma planta extratora e uma usina de biodiesel no Estado.

Já a Petrobras Biocombustível também implementa uma usina de biodiesel no Pará. O empreendimento, definido no Plano de Negócios e Gestão 2012-2016, terá capacidade de produzir 230 milhões de litros de biodiesel por ano, para atender à região Norte do País.

Vale e Petrobras assinaram, em abril deste ano, protocolo de Intenções que trata de projetos conjuntos em andamento nas áreas de potássio, fertilizantes nitrogenados, termelétrica, ativos de petróleo, gás e de biodiesel, além de logística.

A mineradora Vale poderá ter prioridade no abastecimento de gás natural pela Petrobras, como parte de um protocolo de cooperação que prevê parcerias das duas companhias em várias áreas.

A Petrobras, por sua vez, poderá usar os portos da Vale para escoar equipamentos necessários à exploração de campos de petróleo localizados em mar, inclusive no pré-sal, revelou anteriormente uma fonte à Reuters.

Além disso, a Vale poderá ter como garantia de investimento na exploração de terras-raras um contrato de fornecimento de longo prazo com a Petrobras, acordo que viabilizaria a produção dos compostos minerais no Brasil, disseram duas fontes com conhecimento do assunto.

A Petrobras atualmente importa da China a matéria-prima utilizada no processo de refino de petróleo.

(Reportagem de Sabrina Lorenzi)

Tudo o que sabemos sobre:
COMBUSTIVEISVALEPETROBRAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.