Vale nega retaliação por veto da China aos supernavios

A Vale, maior exportadora de minério de ferro do mundo, não está privando as armadoras chinesas que transportarem o minério da companhia e continua aberta a vender para elas os grandes navios cargueiros que possui, disseram fontes da indústria nesta quarta-feira.

REUTERS

16 Maio 2012 | 08h32

Um alto executivo da mineradora se reuniu na sexta-feira com a Associação de Armadores da China depois de pessoas da indústria chinesa terem dito que a companhia parou de contratar navios de algumas transportadoras como retaliação ao veto aos supernavios por Pequim.

Armadores chineses convenceram o governo chinês em janeiro a proibir a entrada dos maiores cargueiros do mundo no mercado chinês sob a alegação de segurança e o potencial impacto sobre o mercado chinês de transporte marítimo.

"O funcionário da Vale disse que houve um mal-entendido. Eles (da Vale) falaram em companhias chinesas, entre elas a Cosco, para transportar os produtos deles", disse Zhang Shouguo, secretário-geral do grupo que foi ao Pequim.

A Vale quer usar uma frota de 35 Valemaxes, com capacidade unitária para transportar até 400 mil toneladas de carga, para cortar os custos do transporte à China e competir melhor com as australianas BHP Billiton e Rio Tinto.

Representantes da Vale na Ásia não estavam imediatamente disponíveis para comentar o assunto.

(Por Alison Leung)

Mais conteúdo sobre:
MINERACAO VALE CHINA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.