Varejo nos EUA deve ter desempenho mais fraco desde Natal de 2008

A medida em que a temporada de fim de ano termina, varejistas nos Estados Unidos esperam que as vendas após o Natal possam ajudar a salvar o pior desempenho já registrado pelo setor desde 2008, mostraram dados preliminares.

Reuters

26 Dezembro 2012 | 13h43

As vendas relacionadas às festas de fim de ano cresceram 0,7 por cento nos EUA entre 28 de outubro e 24 de dezembro, ante aumento de 2 por cento no ano passado, de acordo com informações da MasterCard Advisors SpendingPulse.

A estimativa preliminar da SpendingPulse está em linha com outras projeções que mostram fraco crescimento durante a temporada de festas de fim de ano, quando varejistas conseguem registrar cerca de 30 por cento das vendas anuais e, em muitos casos, metade de seus lucros.

A empresa de pesquisas ShopperTrak disse na semana passada que esperava um aumento de 2,5 por cento, e não mais de 3,3 por cento. E na terça-feira o the International Council of Shopping Centers e o Goldman Sachs Weekly Chain Store Sales Index disseram que as vendas subiriam apenas 0,7 por cento na semana terminada no sábado.

Se o crescimento inferior a 1 por cento for confirmado, será a pior temporada de vendas de fim de ano nos EUA desde 2008, durante a última recessão.

Além de condições climáticas desfavoráveis às vendas, alguns analistas disseram que os consumidores podem ter reduzido os gastos diante de preocupações sobre se o governo norte-americano chegará a um acordo para evitar o "abismo fiscal", aumentos de impostos e cortes de orçamento que terão efeito no próximo ano.

(Reportagem de Brad Dorfman)

Mais conteúdo sobre:
CONSUMO VENDAS EUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.