Vaticano condena clonagem de embriões humanos

Uma empresa norte-americana disse ter usado a tecnologia da clonagem para criar cinco embriões

PHIL STEWART, REUTERS

18 de janeiro de 2008 | 15h38

O Vaticano condenou nasexta-feira a clonagem de embriões humanos, chamando-a de "opior tipo de exploração do ser humano". "Isso se classifica entre os atos mais ilícitos em termosmorais, eticamente falando", disse o monsenhor Elio Sgreccia,presidente da Academia Pontifícia para a Vida, o departamentodo Vaticano que ajuda a supervisionar a posição da Igreja emquestões ligadas à bioética. Uma empresa norte-americana disse na quinta-feira ter usadoa tecnologia da clonagem para criar cinco embriões humanos, naesperança de conseguir obter células-tronco totalmentecompatíveis com pacientes. Se o feito for comprovado, a equipe da Stemagen Corp. seráa primeira a ter clonado seres humanos para obtercélulas-tronco. Sgreccia disse que a pesquisa com clonagem não éjustificável. Também afirmou que ela é desnecessária,considerando os avanços em pesquisas semelhantes que eliminam apolêmica destruição dos embriões. "Não há nem -- eu não diria justificativa, porque nunca éjustificado -mesmo o pretexto de encontrar alguma coisa(nova)", disse ele à rádio Vaticano. As células-tronco embrionárias são consideradas as maispotentes porque podem se transformar em todo tipo de tecido docorpo. Outras equipes já conseguiram criar células-tronco queacreditam ser semelhantes às embrionárias, mas usando outrastécnicas que não envolvam a destruição de embriões. Sgreccia disse não entender por que os cientistas queremusar embriões humanos. "Não dá mais para saber se isso é só umjogo ... feito unicamente com o desejo de fazer experiências emhomens e mulheres." A Stemagen Corp. disse ter usado uma técnica chamadatransferência nuclear de célula somática, a mesma usada paracriar a ovelha Dolly, em 1996. Um óvulo tem seu núcleo retiradoe substituído por uma célula adulta, da pessoa que se querclonar. No caso da empresa, foram usadas células da pele dedois homens. Os embriões foram destruídos durante os testes.

Tudo o que sabemos sobre:
RELIGIAOCLONAGEMCONDENA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.