Vaticano revisa linguagem de documento sobre gays

A versão final de um polêmico documento do Vaticano divulgado neste sábado foi radicalmente revisto na referência sobre os homossexuais, eliminando linguagem anterior mais positiva.

PHILI, REUTERS

18 de outubro de 2014 | 16h01

O documento, chamado de "relatio", foi emitido na conclusão da reunião de duas semanas, o sínodo, de cerca de 200 bispos católicos de todo o mundo.

Após uma primeira versão lançada na segunda-feira, os bispos conservadores prometeram alterar o texto, dizendo que houve confusão entre fiéis e ameaçou prejudicar a família tradicional.

Os dois parágrafos finais do documento que tratam dos homossexuais foi intitulado "atenção pastoral para com as pessoas com orientações homossexuais". A versão anterior, de três parágrafos foi chamada de "boas-vindas aos homossexuais."

A versão anterior falava em "aceitar e valorizar orientações sexuais (dos homossexuais)" e dar-lhes "uma casa acolhedora". A versão final eliminou essas frases.

A nova versão usa um termo mais vago, repetindo declarações anteriores da igreja de que os gays "devem ser acolhidos com respeito e sensibilidade" e que a discriminação contra gays "deve ser evitada".

A versão final sublinhou que "não há fundamento absoluto" para comparar o casamento homossexual ao casamento heterossexual, chamando o casamento heterossexual "plano de Deus para o matrimônio e da família".

(Reportagem de Philip Pullella)

Mais conteúdo sobre:
MUNDOVATICANOGAYS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.