Vazam de caminhão da Petrobrás em São Sebastião 15 mil l de óleo

Autoridades ambientais e voluntários da Defesa Civil de São Sebastião, no litoral norte de São Paulo, tentam desde a madrugada de ontem conter o avanço de óleo diesel que vazou de um caminhão da Petrobrás Distribuidora no mar na Praia de Maresias. O veículo se acidentou por volta das 17 horas de anteontem, na Rodovia Rio-Santos, na Serra de Boiçucanga.

SÃO SEBASTIÃO (SP), O Estado de S.Paulo

08 de setembro de 2012 | 03h08

Segundo a prefeitura, vazaram cerca de 15 mil litros. O óleo diesel vazou para o Rio do Canto do Moreira, percorreu vários córregos e atingiu a Praia de Maresias sem nenhum tipo de contenção. A mancha também teria chegado a outras praias, como Toque-Toque Pequeno e Paúba.

Ontem, a praia estava lotada de turistas. Com auxílio de dezenas de voluntários, a prefeitura disse ter constatado graves danos à fauna dos rios, córregos e da área litorânea. Segundo o engenheiro agrônomo André Motta Waegte, que acompanhou os trabalhos, "esse é um desastre imensurável e os impactos ambientais persistirão por anos".

Multas. Segundo o secretário municipal do Meio Ambiente, Eduardo Rego, a contaminação teria afetado gravemente pequenos córregos onde as águas ficam represadas, dentre eles o Água da Saúde, causando a mortalidade de muitos peixes. Disse que pelo menos duas multas serão aplicadas, pois a contaminação afetou dois tipos de ecossistema.

O pior desastre ambiental de São Sebastião ocorreu em maio de 1993, quando 2,7 milhões de litros de óleo vazaram após o rompimento de um oleoduto da Petrobrás na Praia do Guaecá. Foram quase dois meses de trabalho para conter o vazamento. / REGINALDO PUPO, ESPECIAL PARA O ESTADO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.