Vazamento de ácido esvazia área do Porto de Salvador

Cerca de 50 funcionários que trabalhavam no final da noite desta sexta-feira num dos setores do Porto de Salvador foram obrigados a abandonar aquela área em razão do vazamento de ácido tricloroisocianúrico, comercialmente encontrado como "cloro estabilizado", que estava em um dos vários contêineres com o mesmo produto. Os contêineres estão no porto desde 2010.

RICARDO VALOTA, Agência Estado

05 de maio de 2012 | 10h01

Uma densa cortina de fumaça - idêntica a de um incêndio - formou-se no local. Nenhum dos funcionários ficou ferido pelo vazamento. Também não houve danos ambientais. Se for inalado diretamente, esse ácido pode causar irritações e problemas respiratórios. O produto não é inflamável, mas pode gera fogor em contato com combustíveis comuns. Defesa Civil, bombeiros e Polícia Civil estiveram no local.

Tudo o que sabemos sobre:
acidentevazamentoSalvadorPorto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.