Vazamento de óleo é o dobro do estimado

Nova estimativa da quantidade de petróleo que vaza de um poço que explodiu em 20 de abril no Golfo do México, matando 11 pessoas, dobra o número divulgado anteriormente. Segundo o governo dos Estados Unidos, que já gastou mais de US$ 140 milhões para enfrentar a maior tragédia ambiental de sua história, entre 160 milhões e 380 milhões de litros poluem a região.

, O Estado de S.Paulo

12 de junho de 2010 | 00h00

Para o biólogo marinho Paul Montagna, especializado nos recifes do golfo, isso quer dizer que a mancha de óleo que já atingiu a costa de Estados como a Louisiana e a Flórida deve se espalhar mais e causar um desastre ambiental ainda maior. "O dobro da quantidade do óleo não tem um efeito linear", explica. "A gravidade das consequências pode ter quadruplicado."

Os novos números do vazamento, aumentados pela terceira vez, mostram que mais óleo escapa por hora do que antes se pensava que vazava por dia. A estimativa atualizada é de que, diariamente, estão sendo lançados no golfo cerca de 8 milhões de litros, o dobro da estimativa máxima divulgada anteriormente pelas autoridades americanas.

Entretanto, nenhuma das estimativas levou em consideração o corte do cano do poço, que ocorreu no dia 3. Segundo a empresa responsável pela operação, a britânica BP, isso teria aumentado o fluxo de óleo em 20% antes que uma tampa, que coletou cerca de 11,5 milhões de litros, fosse colocada.

Ameaça. Os números crescentes do desastre representam perigo maior para os animais que vivem nos manguezais da costa, diz John Nyman, da Universidade do Estado da Louisiana. Segundo ele, a população do pelicano-marrom, que havia se recuperado antes do vazamento, pode sofrer um impacto enorme.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.