Venda de carne de jacaré causa demissão no Ibama de MS

A venda de carne de jacaré do Pantanal de Mato Grosso do Sul causou a exoneração do superintendente do Ibama no Estado, David Lourenço. A demissão foi comunicada ontem pelo presidente do órgão, Curt Trennepohl.

O Estado de S.Paulo

18 de outubro de 2011 | 03h02

Segundo denúncias apuradas pela Polícia Federal, a Fazenda Cacimba de Pedra, no município de Miranda, funcionava como sede da criação de jacarés, onde eram vendidas peles e carne. Foi constatado alto consumo da carne de jacaré em cidades vizinhas. A propriedade é do veterinário do Ibama Gerson Zahdi Bueno. Lourenço, que ficou no cargo por quase quatro anos, disse que foram feitas vistorias no criadouro e nenhuma "apontou problemas". Disse que Bueno tem licença do Ibama "há mais de 15 anos e nunca foi constatada questões éticas sobre os trabalhos". O veterinário diz que tem "todas as autorizações necessárias".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.