Venda de celulares cresce mais que em 2006

Expectativa é fechar 2007 com 115 milhões de linhas, contra 99 milhões no ano passado

Nilson Brandão Junior, Agência Estado

21 Agosto 2007 | 09h10

O mercado de telefonia celular surpreendeu e deverá crescer este ano mais do que em 2006. Depois de alcançar a marca de 99,9 milhões de aparelhos no ano passado, a expectativa é fechar 2007 com 115 milhões de linhas. As estimativas são da empresa de informações de mercado Teleco, que divulga hoje um estudo sobre telefonia celular. Os dados mostram ainda a briga continental dos grupos América Móvil, do México, e Telefónica, da Espanha, que já dominam 70% do mercado da América Latina.   "O setor não perdeu o fôlego como era esperado no início do ano no Brasil. Ao contrário. A tendência, agora, é superar com certa folga o crescimento que aconteceu ano passado", diz o diretor da Teleco, Eduardo Tude. Desde o início do ano, os principais executivos do setor têm dito que o crescimento do mercado ficaria entre 9% e 12%, numa clara desaceleração em relação a 2006, quando o mercado avançou 13,7%.   A Teleco diz que o mercado deverá crescer 15% em 2007, com 15 milhões de novos aparelhos. A entrada em operação, pela Vivo, da rede GSM (mesma tecnologia usada pelas rivais e que predomina no mundo) e reação da Oi à perda da liderança na região em que atua, em 16 Estados, estimularam a expansão do setor, além de promoções da Claro e da TIM.

Mais conteúdo sobre:
Celular Acesso Vivo TIM Claro Oi

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.