Vendas de caminhões da Volvo caem em abril por Europa e Brasil

A Volvo, segunda maior fabricante de caminhões do mundo, informou nesta quarta-feira que as vendas de seus caminhões caíram 4 por cento ano a ano em abril, à medida que a fraca demanda na Europa e na América do Sul ofuscaram uma reviravolta na América do Norte.

REUTERS

16 Maio 2012 | 09h03

A Volvo, que vende caminhões sob as marcas Renault, Mack, UD Trucks e Eicher, assim como sua marca homônima, informou que os embarques de unidades caíram 22 por cento na Europa, seu maior mercado, mas cresceram 39 por cento na América do Norte.

"Foi um pouco mais fraco do que o esperado", disse um analista que não quis ser identificado, acrescentando que se tratam apenas de dados de um único mês.

As fabricantes europeias de caminhões têm enfrentado tempos difíceis à medida que tumultos na zona do euro e medidas de austeridade têm afetado seus mercados domésticos, ao passo que novas regras de emissões prejudicaram a demanda no Brasil, maior mercado sul-americano para caminhões pesados.

A companhia, rival da líder alemã Daimler, disse nesta quarta-feira que a produção aumentará levemente em sua unidade Renault durante o segundo trimestre e de sua marca Volvo no terceiro trimestre.

As entregas na América do Sul, prejudicadas pela mudança para novos motores no Brasil, caíram 30 por cento.

(Por Niklas Pollard e Helena Soderpalm)

Mais conteúdo sobre:
TRANSPORTESVOLVOVENDAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.