Vendas de carros na Europa são as piores em pelo menos 23 anos

As vendas de carros na Europa caíram no mês passado para o pior fevereiro em pelo menos 23 anos, em um nível geralmente visto somente nas férias de agosto, quando as cidades ficam vazias, mostraram dados da indústria nesta terça-feira.

JENNIFER CLARK, Reuters

19 de março de 2013 | 11h17

Os licenciamentos de novos carros encolheram 10,2 por cento na comparação anual, para 829.359, o pior fevereiro desde que a Associação das Fabricantes Europeias de Carros (Acea, em inglês) começou a colher os números, em 1990.

Após as vendas anuais terem caído 8,2 por cento em 2012 para uma mínima em 17 anos, 12,05 milhões de veículos, este ano já se encaminha para ser outro grande revés, particularmente para os fabricantes de mercados de massa.

A Ford tem sido uma das mais atingidas, com as vendas despencando o dobro do mercado pelo terceiro mês consecutivo. A montadora vendeu 53,6 mil carros no mês passado, 20,8 por cento menos.

A Ford está reduzindo a capacidade de produção na Europa com o fechamento de três fábricas, incluindo a unidade em Genk, na Bélgica.

Depois da Ford, a General Motors e a Fiat foram as que mais tiveram perdas nas vendas, de 20,1 por cento e 15,7 por cento, respectivamente.

A Volkswagen, líder do mercado europeu, viu as vendas da marca de mesmo nome caírem quase 10 por cento; as da sua marca de luxo Audi tiveram retração de 3,8 por cento.

Apenas três marcas tiveram alta nas vendas no mês passado: Hyundai Motor, com 1,4 por cento; Mazda, 13,1 por cento; e Honda, 27 por cento.

A Grã-Bretanha foi um ponto positivo no mês passado, com aumento nas vendas de 7,9 por cento.

"Todos os outros mercados importantes tiveram retração, de 9,8 por cento na Espanha a 10,5 por cento na Alemanha, 12,1 por cento na França e 17,4 por cento na Itália", afirmou a Acea em comunicado.

Tudo o que sabemos sobre:
CONSUMOEUROPA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.