Vendas de produtos de luxo crescerão 7% por ano, diz consultoria

As vendas mundiais de produtos de luxo devem subir 7 por cento por ano até 2014, impulsionadas por um crescente mercado chinês e superando qualquer grande crise econômica, previu nesta terça-feira a Boston Consulting Group.

REUTERS

05 de junho de 2012 | 09h37

As vendas cresceriam apenas 3 por cento anuais no pior dos casos, definido pela BCG como uma queda de 1,5 ponto porcentual no PIB da Europa Ocidental, Estados Unidos e Japão e menor crescimento em mercados emergentes como China e Brasil.

O comércio de produtos de luxo teve um boom nos últimos dois anos, recuperando-se da crise financeira global de 2008. No entanto, os mercados de ações ao redor do mundo se esfriaram a partir de abril por causa da crise da zona do euro, frustrante recuperação dos EUA e sinais de crescimento modesto na China.

"Se houver (menos milionários) e se há um grande esfriamento na China ou no Brasil, com certeza haverá um impacto no setor", disse Jean-Marc Bellaiche, sócio da BCG à frente da divisão de luxo.

O crescimento do chamado "luxo experimental", como viagem de aventura, spa e hotel, será maior que o de relógios e vestidos, previu a BCG. As vendas desse segmento de luxo devem crescer 12 por cento por ano até 2014, disse o BCG.

Apesar da nuvem sobre o mercado de luxo, o crescimento da classe média em países como China, Brasil e Rússia vai beneficiar o mercado mundial de luxo.

"Ainda existe espaço para crescer", afirmou Bellaiche.

(Por Phil Wahba)

Tudo o que sabemos sobre:
CONSUMOLUXOBRASIL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.