Veneza terá câmeras para controlar velocidade de barcos

Ondas provocadas pelos barcos danificam estrutura da cidade sobre os canais

BBC Brasil, BBC

15 de janeiro de 2008 | 12h50

A administração da cidade de Veneza, no norte da Itália, planeja colocar câmeras para controlar a velocidade das embarcações em todos os seus canais.O objetivo é amenizar o impacto das ondas causadas pelos barcos a motor, que durante anos vêm danificando a estrutura da cidade e causando erosão em seus canais.Segundo o vice-prefeito, Michele Vianello, os radares que serão implantados para verificar a velocidade são parecidos com os existentes em auto-estradas e pistas de ski.De acordo com ele, também serão substituídas as placas de identificação das embarcações a motor. Elas passarão a contar com um microchip, que trará informações detalhadas e facilmente acessíveis sobre o proprietário.Segurança"É um sistema de vídeo e segurança que permitirá controlar o fluxo do tráfego aquático, calculando a velocidade de cada embarcação", disse Vianello. "Eventuais atividades ilícitas também poderão ser registradas. Vendedores de mercadorias falsas e barcos sem licença da Prefeitura poderão ser interceptados pela polícia com mais rapidez."Em novembro do ano passado, a Prefeitura veneziana colocou em operação outro sistema de radares e câmeras para controlar a navegação no Grande Canal, com investimento de 700 mil euros.Nomeado como Argos, o "serviço que vê tudo" passou a monitorar o traçado dos barcos, sua velocidade e posição. O sistema também mostra o número total de embarcações presentes em cada área, a concentração delas, as eventuais paradas e as aglomerações.Na prática, as câmeras podem enxergar durante o dia, à noite e através da neblina. Os sinais são transmitidos pela da rede sem fio da Prefeitura para a sala operativa da Polícia Municipal.Conforme Vianello, já no primeiro mês de operação do Argos, as infrações no Grande Canal e os congestionamentos diminuíram drasticamente. "As câmeras que medem a velocidade e permitem ver as placas das embarcaçõs e o rosto do condutor se tornaram um ótimo meio de dissuação para aqueles que não respeitam o limite de velocidade de sete quilômetros por hora", disse o vice-prefeito."A velocidade média no Grande Canal mostra uma tendência ao respeito do limite, salvo alguns casos de aceleração para ultrapassar veículos que estão manobrando."No entanto, segundo Vianello, o Argos não pode ser utilizado nos canais mais estreitos, como o Tronchetto e a Cornoldi, onde serão implantadas a nova tecnologia.Vianello diz que a extensão dos sensores a essas áreas irá potencializar também a vigilância sobre zonas sensíveis da cidade em termos de segurança. De acordo com ele, os dados estarão à disposição da polícia.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
venezaitáliacâmerasvelocidade

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.