Vereador acusado de chefiar milícia é baleado no Rio

Nadinho de Rio das Pedras, suspeito de mandar matar policial, continuava internado sem correr risco de morte

Clarissa Thomé, O Estado de S.Paulo

02 Dezembro 2008 | 19h04

O vereador Josinaldo Francisco da Cruz, o Nadinho de Rio das Pedras, foi vítima de atentado no fim da noite de segunda-feira, 1º, na porta de casa, na Favela de Rio das Pedras, na zona oeste. O vereador do DEM, acusado de chefiar a milícia local, foi atingido por um tiro no tórax e outro na coxa direita. Os disparos foram feitos por dois homens numa motocicleta.   A polícia pediu as imagens do circuito interno de tevê da casa do vereador, mas foi informada de que o sistema havia sido desativado no dia anterior ao crime. Havia muita gente na rua no momento em que Nadinho foi baleado. Segundo testemunhas, ele levou o primeiro tiro no portão de casa e correu. O segundo tiro o atingiu quando estava próximo à associação de moradores.   Nadinho foi levado para o Hospital Cardoso Fontes, em Jacarepaguá. Ele foi operado para estancar a hemorragia, mas os médicos não extraíram as balas. O vereador está internado na Unidade Intermediária e não corre risco de morrer.   Nadinho é acusado de ser o mandante do assassinato do inspetor de polícia Félix Tostes, chefe da milícia morto em 2007. Relatório da CPI das Milícias, na Assembléia Legislativa, concluído recentemente, pede a cassação do mandato de oito parlamentares, entre eles o de Nadinho. Na semana passada, a viúva de Tostes, Maria do Socorro Barbosa Tostes, também foi vítima de atentado, em Jacarepaguá. Ela recebeu alta na noite de segunda-feira.

Mais conteúdo sobre:
violência milícias vereador Rio

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.