Vereador acusado de crime tem prisão decretada em SP

A Justiça de Mairinque (SP) decretou a prisão preventiva do vereador Alex Santos Silva (PTB), secretário da Mesa da Câmara local, suspeito de envolvimento com uma rede de tráfico de drogas. Também foi decretada a prisão do assessor parlamentar Samuel Monteiro.

JOSÉ MARIA TOMAZELA, Agência Estado

31 de janeiro de 2011 | 18h31

De acordo com investigação da Polícia Civil acompanhada pelo Ministério Público Estadual (MPE), o vereador e o assessor utilizavam celulares do Legislativo para fazer contato com traficantes que haviam sido presos durante operações realizadas na cidade. Os dois são acusados, ainda, de promover orgias com menores de idade.

Em várias ocasiões, Silva e Monteiro levaram de carro cinco adolescentes até a cidade de Itapevi. As garotas eram obrigadas a comprar drogas e repassar para a dupla. As jovens eram usadas para orgias na casa do vereador. Pelo menos uma delas confirmou, em depoimento à polícia, ter feito sexo e consumido droga com o parlamentar.

A prisão foi decretada na última sexta-feira e a Polícia Civil aguardava que os dois acusados se apresentassem até as 17 horas de hoje, o que não ocorreu. Eles passaram a ser considerados foragidos. Familiares do vereador informaram que ele está viajando e não quiseram comentar a ordem de prisão. Na casa de Monteiro não havia ninguém. O presidente da Câmara, Jorginho da Esperança (PMDB), informou que não tinha sido notificado oficialmente, mas a situação do vereador e do assessor, contratado no ano passado, será discutida na sessão da próxima quinta-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.