Vermífugo pode ter intoxicado e matado 8 em MG

Medicamento teria sido feito por uma farmácia de manipulação de Teófilo Otoni, que está interditada por ordem da Vigilância Sanitária do Estado

MARCELO PORTELA , BELO HORIZONTE, O Estado de S.Paulo

13 de dezembro de 2011 | 03h02

O vermífugo Secnidazol 500mg manipulado pela Fórmula Pharma, de Teófilo Otoni (MG), é suspeito de ter intoxicado e matado oito pessoas no município. A Secretaria de Estado da Saúde (SES) de Minas está em busca de 62 cápsulas do medicamento que estão desaparecidas. A Fórmula Pharma foi interditada pela Vigilância Sanitária estadual.

Segundo o subsecretário de Vigilância e Proteção à Saúde da SES, Carlos Alberto Gomes, essas cápsulas foram manipuladas e distribuídas sem receita médica. Elas fazem parte de um lote de 180 cápsulas de Secnidazol 500mg manipuladas pela Fórmula Pharma em 14 de novembro.

Após o início da investigação epidemiológica, em 1.º de dezembro, técnicos da secretaria encontraram 50 cápsulas do medicamento - indicado para tratamento de doenças causadas por parasitas - estocadas no estabelecimento e outras 68 que foram vendidas para clientes que apresentaram receitas médicas encontradas no local.

Segundo Carlos Alberto Gomes, a suspeita é de que a Fórmula Pharma tenha distribuído os medicamentos para serem revendidos em outras farmácias.

A Secretaria de Estado da Saúde e a Polícia Civil mineira estão à procura do proprietário do estabelecimento, Ricardo Luiz Portilho, e da farmacêutica Anne Pinheiro Nascimento e Souza, responsável pela farmácia.

Investigação. De acordo com informações da secretaria, a suspeita é de que o Secnidazol 500 mg tenha sido contaminado com substâncias de outro medicamento manipulado no mesmo dia em que o lote foi produzido.

Outra possibilidade aventada pelo órgão estadual é de que tenha sido usada na fórmula do produto a substância metaprolol, utilizada no tratamento de hipertensão. Os sintomas nas vítimas, segundo Gomes, indicam a presença do hipertensivo.

Se for confirmada a contaminação com esse produto, ele estaria em uma concentração dez vezes acima do recomendado.

Vítimas. A última morte registrada foi a da estudante Letícia Lopes dos Santos, de 22 anos, ocorrida anteontem. Dois dias antes, a mãe da jovem, Adélia Lopes da Paixão, de 49, também havia morrido. As duas haviam ingerido o medicamento fornecido pela Fórmula Pharma.

No Hospital Santa Rosália, em Teófilo Otoni, está internado um casal que deu entrada com intoxicação medicamentosa. Os dois relataram que os sintomas começaram após a ingestão de quatro cápsulas do vermífugo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.