Paulo Liebert/Estadão
Paulo Liebert/Estadão

Vestibular da PUC inova com redação sobre Einstein

Tema fugiu da tradição da instituição, que costuma abordar questões mais objetivas e de atualidades

Cristiane Nascimento, Especial para o Estadão.edu

03 Dezembro 2012 | 02h01

A redação foi o destaque do vestibular unificado da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), realizado ontem. Entre os mais de 20 mil inscritos, 1.279 candidatos não compareceram à prova - uma abstenção de 6,27%.

"A redação chama a atenção porque o tema proposto foge um pouco à tradição da PUC-SP", afirma Daniela Eizenstein, professora de redação do cursinho CPV. Segundo ela, normalmente as propostas da PUC-SP estão ligadas a questões objetivas e de atualidades. Ontem, a coletânea de apoio ofereceu a clássica fotografia de Albert Einstein com a língua para fora, uma imagem da rosa de Hiroshima e textos que contextualizavam a relação entre o cientista e a bomba atômica. A partir disso, o estudante tinha de criar um texto dissertativo, se colocando na posição de Einstein.

"O que realmente importa no texto é a argumentação e não o posicionamento escolhido pelo aluno", lembra Vera Lúcia da Costa Antunes, coordenadora pedagógica do cursinho Objetivo. Para ela, no geral, a prova teve questões bem elaboradas, mas com enunciados longos.

Coordenador geral do Anglo Vestibulares, Luís Ricardo Arruda diz que o vestibular da PUC-SP foi, de maneira geral, bom e adequado. "Mas existe uma limitação dada pelo próprio modelo, que oferece apenas cinco questões por disciplina", afirma. Ainda assim, ele elogiou a elaboração das questões - sem falhas de enunciado - e também a impressão colorida do material.

O grande problema, para Arruda, foi a prova de química. Segundo ele, as cinco questões abordaram o que há de mais difícil na programação e exigiram conteúdos muito específicos.

Atraso. Cerca de 20 estudantes foram barrados na entrada do câmpus de Perdizes, na zona oeste - principal local de prova. O fechamento dos portões estava previsto para 13h45 e o início da prova ocorreria às 14 h. Nesse intervalo, alguns estudantes chegaram e ficaram do lado de fora. Mas, às 14 h, os portões foram abertos novamente para os atrasados que já se encontravam no local.

Os estudantes concorrem a 6.235 vagas, distribuídas entre a PUC-SP e outras instituições que adotam seu exame como critério de seleção. São elas: Faculdade de Medicina de Marília (Famema), Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo (FDSBC), Faculdade de Enfermagem do Hospital Israelita Albert Einstein (Fehiae), Faculdade Santa Marcelina (FASM) e Faculdades Integradas Rio Branco (FRB). Os resultados serão divulgados no dia 18.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.