Vestibular da Unesp registra 8,9% de abstenção na 1ª fase

Candidatos fizeram 90 questões objetivas na disputa por 465 vagas; FGV também realizou seleção de inverno

PAULO SALDAÑA , CARLOS LORDELO, ESTADÃO.EDU, O Estado de S.Paulo

04 de junho de 2012 | 03h05

Quase 15 mil estudantes fizeram ontem a primeira fase do vestibular de inverno da Universidade Estadual Paulista (Unesp), em uma prova considerada boa e com dificuldade média por professores ouvidos pelo Estado. O índice de abstenção foi de 8,9%.

Com textos cujos temas variaram de Código Florestal, cracolândia a Amy Winehouse, o exame favoreceu o vestibulando que tem bom nível de leitura, segundo o diretor pedagógico do cursinho Oficina do Estudante, Célio Tasinafo. "Foi uma prova muito bem feita, que valorizou o essencial. Quando não exigiu conhecimentos de atualidades ou interpretação de textos, havia gráficos. Tudo bem contextualizado, cobrando competências do aluno."

Os estudantes também se depararam com textos sobre o vazamento de óleo na Bacia de Campos, no Rio, e tecnologia nos esportes, além de conteúdos mais específicos como, por exemplo, usos de vírgulas, pronomes, matrizes e tabela periódica. Duas questões ainda exigiram conhecimento em ética e sociologia.

Para Tasinafo, o tempo foi um desafio. "Os textos de apoio foram bem utilizados em mais de uma questão, mas considerando que só havia quatro horas e meia para responder, foi um vestibular de médio para difícil."

Os professores do cursinho Objetivo têm a mesma opinião. Segundo eles, a Unesp fez uma prova "adequada" e que exigiu "formação". "A banca já está criando um padrão: a maioria das questões tinha textos e não dava nada de graça. Para chegar à resposta o candidato tinha de raciocinar", resume a coordenadora Vera Lúcia Antunes.

Segundo ela, as questões de português foram as mais fáceis da prova. "A banca quer alguém que saiba ler, por isso privilegiou interpretação de textos em detrimento de gramática."

O exame de ontem era composto por 90 questões de múltipla escolha, sendo 30 de cada área: ciências humanas (história, geografia e filosofia), ciências da natureza e matemática (física, química, biologia e matemática) e linguagens e códigos (língua portuguesa, literatura, arte, educação física e língua inglesa). Os aprovados nessa etapa ainda terão de passar por mais dois dias de provas. Eles concorrem a 465 vagas.

Dos 16.040 candidatos inscritos, 1.421 não compareceram. A prova foi realizada em dez cidades paulistas e a maior taxa de abstenção foi registrada na capital, onde 12,6% dos inscritos faltaram.

FGV. Ontem também foi realizado o vestibular de meio do ano da Fundação Getulio Vargas (FGV) para o curso de Administração de Empresas. O exame começou de manhã, com as provas objetivas de matemática, língua portuguesa e literatura, língua inglesa e humanas (história, geografia e atualidades). À tarde, os candidatos fizeram prova discursiva de matemática aplicada e uma redação.

O estudante Felipe Azevedo, de 19 anos, ficou feliz com seu desempenho na prova, "Achei a parte escrita de matemática a mais difícil, foi bem puxado. E falei com amigos: todos estavam reclamando", diz Azevedo, vestibulando que fez cursinho no Objetivo ao longo do semestre. "Vou prestar também o Mackenzie no meio do ano, onde passar já começo."

Confira os gabaritos dos dois vestibulares, comentários e mais informações sobre vestibulares no Estadão.edu (estadão.com.br/educacao).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.