Vetria Mineração contrata bancos para buscar sócio, diz Triunfo

A Vetria Mineração, criada em parceria pelas empresas de logística ALL e Triunfo e pela Vetorial Mineração, investirá em pesquisa nos próximos meses para ter certeza sobre a quantidade e qualidade de seu minério de ferro e buscar um novo sócio.

Reuters

22 de março de 2013 | 16h20

Segundo o diretor-presidente da Triunfo, Carlo Alberto Bottarelli, serão investidos cerca de 80 milhões de reais no primeiro semestre em pesquisa e desenvolvimento.

"Queremos estar absolutamente blindados, tanto na qualidade quanto na quantidade. (...) Só iremos a mercado quanto tivermos certeza", afirmou em teleconferência com analistas sobre os resultados da Triunfo.

As companhias já contrataram um conjunto de bancos para a busca do sócio. "A gente ainda não foi para o mercado, justamente para não queimar o projeto, tem muito projeto de minério de ferro rodando", disse.

No final de fevereiro, as companhias informaram a projeção de investimentos de 11,5 bilhões de reais em projetos da jazida de minério de ferro em Corumbá (MS) da Vetria, após uma análise ter estimado um volume 10 vezes maior de recursos minerais no empreendimento do que inicialmente previsto.

A ALL detém mais de 50 por cento da Vetria, seguida por Triunfo, com mais de 15 por cento, e acionistas da Vetorial, com mais de 33 por cento.

FINANCIAMENTO DE PROJETOS

A Triunfo está estudando as estratégias de financiamento que adotará em vista dos projetos que deve participar este ano, de acordo com o diretor-financeiro e de relações com investidores, Sandro Antônio de Lima.

A companhia já informou que avalia participar em licitações como a de rodovias em 2013, com interesse na BR-040.

No ano passado, a Triunfo participou do consórcio que arrematou a concessão do aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), com a francesa Egis Airport, em fevereiro de 2012.

"Passamos a ser fortemente abordados com ideias e soluções que envolvem equity ... fusões e aquisições e que envolvem também alienação a ativos", disse o executivo.

"Temos grandes e boas oportunidades sendo avaliadas, e se necessário, dado a grande quantidade de projetos que estamos estudando, vamos executar alguma destas estratégias", adicionou.

No final de janeiro, o Conselho da Triunfo decidiu pela venda da totalidade das ações que possui na Rio Canoas, empresa de energia constituída para implantar e administrar a Usina Hidrelétrica de Garibaldi (SC).

(Por Juliana Schincariol, no Rio de Janeiro)

Tudo o que sabemos sobre:
MINERACAVETRIABANCOSSOCIO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.