Vexame corintiano alivia o Náutico

Jogo de cinco gols não reflete o confronto bem ruim no Pacaembu

Daniel Akstein Batista, O Estadao de S.Paulo

22 de novembro de 2009 | 00h00

O Corinthians entrou com apenas quatro titulares em um jogo que na verdade nada valia para ele. Já o Náutico apostava suas fichas na vitória para seguir com chances de se livrar do rebaixamento. O Pacaembu recebeu 14 mil torcedores e nem o inspirado Ronaldo salvou seu time. O triunfo por 3 a 2 deixou os pernambucanos com 38 pontos, ainda sonhando em seguir na Séria A em 2010.

Ao contrário da chuvosa noite de sábado, a próxima partida corintiana vai atrair muito mais atenção. Em campo, no domingo, em Campinas, o atual campeão paulista enfrenta o Flamengo, que luta com o São Paulo pelo título brasileiro. Mano Menezes já avisou que seu time deve estar completo no Estádio Brinco de Ouro - depende da recuperação de alguns contundidos.

Ronaldo, Edu, Elias e Jorge Henrique foram os titulares que atuaram ontem. O desentrosamento entre eles era bem claro, sem jogadas.

A sorte inicial do Corinthians era que seu adversário conseguia ser mais fraco tecnicamente. Nos primeiros minutos, o que se viu foram muitos erros de passe e chutes tortos. Os donos da casa tinham mais posse de bola, mas falhavam na hora de arrematar ao gol.

No primeiro lance de perigo do Náutico, o relógio apontava os 36 minutos quando Patrick cruzou e Bruno Mineiro subiu para fazer 1 a 0. No fim, o atacante desperdiçou chance de fazer mais um - chutou em cima do goleiro Rafael Santos.

O segundo tempo só começou com emoção por causa dos lances do Fenômeno. Aos cinco minutos, igualou o resultado, de cabeça, após cruzamento de Jorge Henrique. Em seguida, tirou um zagueiro na corrida e acertou a trave. E ainda fez uma boa jogada que terminou num chute para fora.

A expulsão de Bruno Mineiro aos16 deixou o Corinthians mais ofensivo. A virada veio aos 26. Ronaldo cobrou falta para Elias e ele não errou o gol. O Fenômeno, depois, só não anotou o terceiro porque preferiu encobrir o goleiro quando podia ter chutado por baixo.

Numa bobeira da zaga, Carlinhos Bala empatou aos 40. No final, o árbitro marcou um pênalti de Escudero em Aílton (a falta foi fora da área), que fez 3 a 2 aos 47. Na despedida do Pacaembu na temporada, o Corinthians decepcionou a torcida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.