Vice-prefeito de Embu-Guaçu detido após atropelamento

O vice-prefeito de Embu-Guaçu (Grande SP), Fernando Branco Sapede, de 48 anos, que também é médico, mais uma vez, embriagado ao volante, atropelou uma pessoa e foi detido pela polícia na cidade onde ocupa o segundo cargo mais importante. A vítima foi encaminhada ao pronto-socorro municipal e, com escoriações na cabeça, testa e rosto, foi medicada e liberada.

BRUNO LUPION, Agência Estado

13 de abril de 2011 | 06h16

Eram 22h de ontem 12 quando Fernando, conduzindo um Celta prata, no início da Estrada Municipal Antonio Gerrassi, no bairro Santa Fé, atropelou um homem de 50 anos que atravessa a via, de terra.

Uma testemunha, ao ver que o condutor do Celta já deixava o local sem prestar socorro, se posicionou na frente do veículo, o que fez Fernando sair do carro e tentar argumentar que nada havia feito. Neste momento a testemunha correu até o veículo e tirou a chave do contato, impedido a fuga do vice-prefeito.

Policiais militares e uma ambulância foram acionados e, quando chegaram no local, viram o vice-prefeito praticamente deitado próximo à vítima, desta vez preocupado em prestar os primeiros socorros. Levado ao batalhão da PM, o vice-chefe do executivo de Embu-Guaçu realizou teste de bafômetro, que apontou 1,6 mg de álcool por litro de ar expelido, valor quase 5 vezes acima do permitido.

Na delegacia central da cidade, Fernando cedeu uma amostra de sangue, que foi encaminhada ao IML, onde será feito exame de dosagem alcoólica. A mulher do vice-prefeito, Miriam Franco da Mota, foi até a delegacia, pagou fiança de R$ 1.200,00 para liberar o marido e levou o carro para casa. O vice-prefeito foi autuado por embriaguez ao volante.

Outro caso - Esse não é o primeiro caso de atropelamento envolvendo Fernando. Na noite de 6 de março de 2010, o vice-prefeito atropelou um menino de 13 anos que andava de bicicleta na porta de casa, no quilômetro 42,5 da rodovia SP-216, também em Embu-Guaçu. Na ocasião, a Secretaria de Segurança Pública informou que testemunhas afirmaram que o vice-prefeito dirigia uma Blazer prata no sentido bairro quando, em uma lombada, perdeu o controle da direção e subiu na entrada da casa, onde o adolescente estava.

Ainda de acordo com as testemunhas, Sapede apresentava forte cheiro de álcool e outros sinais de embriaguez. Já na versão do vice-prefeito, o menino teria vindo de uma rampa e tentado seguir seu carro, quando acabou colidindo com a lateral do automóvel. O garoto sobreviveu e a Blazer na ocasião foi apreendida por estar com a documentação irregular.

Falsidade ideológica - Em abril do mesmo ano, o vice-prefeito e um rapaz, Rodrigo, de 30 anos foram detidos em flagrante por falsidade ideológica e exercício ilegal da medicina. Segundo informações fornecidas pela Delegacia Seccional de Taboão da Serra naquela ocasião, onde o caso foi apresentado, Sapede emprestava o carimbo e o CRM para Rodrigo exercer a profissão.

Mais conteúdo sobre:
prisãovice-prefeitoEmbu-Guaçu

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.