Vida de bispo radicado no País vira filme

A vida de Pedro Casaldáliga, o bispo espanhol reconhecido como um dos maiores expoentes da teologia da libertação latino-americana e radicado desde 1968 em São Félix do Araguaia (MT), está sendo filmada em uma coprodução brasileiro-hispânica para a televisão.

O Estado de S.Paulo

20 de agosto de 2012 | 03h06

"Nesta terra é fácil nascer e morrer, o difícil é viver", disse Casaldáliga sobre a região que adotou há 44 anos, onde encontrou um mundo de tensões sociais, com grandes proprietários de terra impondo suas vontades sobre os pobres, trabalhadores rurais e indígenas.

Hoje com 84 anos e ainda vivendo em São Félix, o clérigo continua comprometido com a luta. "Nós não nos conformamos com este sistema que faz da humanidade um negócio", diz. Portador da doença de Parkinson, Casaldáliga também continua a defender uma Igreja comprometida com o povo.

O sacerdote catalão que nunca mais voltou à Espanha enfrentou os grandes proprietários de terra, o governo e até mesmo o Vaticano ao denunciar o latifúndio e sair em defesa dos trabalhadores rurais, indígenas e de uma Igreja mais comprometida. Viveu sob a ameaça de morte de pistoleiros e foi fundador da Pastoral da Terra e do Conselho Indígena, entidades fundamentais na luta pela reforma agrária e pelos direitos dos índios. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.