Vídeo prova fraude no Zimbábue, diz 'Guardian'

Jornal britânico publica imagens que provariam 'voto de cabresto' em prisão.

Da BBC Brasil, BBC

05 Julho 2008 | 09h33

Imagens feitas com uma câmera escondida e divulgadas neste sábado mostram como um grupo de agentes penitenciários no Zimbábue foi forçado a votar no presidente Robert Mugabe nas eleições de 27 de junho.O vídeo foi publicado neste sábado pelo jornal britânico The Guardian, que também forneceu o equipamento para a filmagem secreta ao agente Shepherd Yuda.As imagens, capturadas nos seis dias que antecederam a votação do segundo turno no Zimbábue, em 27 de junho, mostram um grupo de agentes penitenciários votando em Mugabe sob o olhar atento de integrantes de uma milícia do governo.Mugabe foi reeleito para um sexto mandato com 90% dos votos, mas o líder da oposição, Morgan Tsvangirai, não participou do segundo turno alegando intimidação.As imagens também mostram um importante líder da oposição no país, Tendai Biti, preso e com as pernas acorrentadas, aguardando julgamento por traição. Biti afirma que as acusações foram fabricadas pelo governo. Alto riscoO agente penitenciário foi obrigado a fugir do país com a família depois das filmagens. Ele afirmou ao Guardian que as motivações para arriscar a vida com as filmagens secretas foram a vontade de expor a violência contra os opositores do governo e a morte de um tio, correligionário do partido de oposição a Mugabe, o MDC (sigla em inglês para Movimento para a Mudança Democrática).Yuda também obteve imagens de comícios do partido do governo em que eleitores eram obrigados a fingir serem analfabetos para que representantes do partido pudessem preencher as cédulas eleitorais para eles.Na sexta-feira, o presidente Robert Mugabe disse que só está aberto a conversações para pôr fim à crise política do país, se a oposição aceita-lo como presidente legítimo."Eu sou o presidente", disse ele na capital, Harare, ao voltar ao país depois de uma cúpula da União Africana no Egito. "Todos têm que aceitar isto se quiserem diálogo."BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.